Junta de Freguesia da Ajuda

Tenho 83 anos e à mais de 15 anos depois de ser reformado pela Câmara Municipal d Lisboa, o presidente da Junta de Freguesia da Ajuda pediu-me para e se quisesse ir tomar conta de um balneário público na mesma freguesia.

Para não estar em casa sem fazer nada disse que sim, levantava-me todos os dias ás 05h30 da manhã para ir para Lisboa e só regressava a casa por volta das 12h00.

O actual presidente depois de ter saído a Lei de não se poder trabalhar sendo reformado, não fez caso e continuou a pedir para que eu continua-se.

Agora à cerca de uma semana alegou que eu tinha que devolver todo o dinheiro que me tinha pago e que o mês de Abril já não me pagava ou para me pagar tinha que arranjar vales de gasolina para o mesmo debitar nas contas da junta.

Junta de Freguesia da Ajuda Queixas

Paguei o passe trabalhei e agora vai-te embora porque não te devo nada.

Esta é a lei deste Governo por ser presidente de junta não lhe vale deixar de pagar a quem trabalhou, ele sabia da lei eu avisei e agora faz isto, será que pode não foi ele que me chamou para ir trabalhar foi o senhor Granadeiro, agora vou ficar sem o meu dinheiro.

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook


1 Comentário para “Junta de Freguesia da Ajuda”

  1. Junta de Fregusia da Ajuda diz:

    Ao Senhor em causa, colaborador da Junta de Freguesia até 30 de Abril de 2011, foram pagas em devido tempo todas as quantias pecuniárias a que tinha direito.Sobre este assunto nunca existiu qualquer contacto direto entre a pessoa do Preside…nte da Junta de Freguesia e o interessado. A Junta de Freguesia verificou em finais de Março de 2011 que o Colaborador não tinha optado nos termos da lei – Estatuto de Aposentação, entre a reforma do estado ou a renumeração pelo trabalho desempenhado nesta Junta.Situação ilegal que urgia corrigir e que foi feito através de contactos entre o Presidente da Junta e a filha do mesmo Colaborador, dada a avançada idade do mesmo e o especial cuidado a ter ao dar esta informação.Foi desde logo a situação resolvida pelo que nos surprende o teor da queixa á qual não assiste pelo exposto qualquer razão de ser.

Deixa um comentário