Justiça

2010/08/12
CARTA ABERTA
Exmo. Senhor: Ministro da Justiça
Ajude os portugueses a não deixar de acreditar na Justiça, da qual V. Exa. é defensor
Falo de mim e expresso a opinião da grande maioria dos portugueses. Divulga-se na comunicação social de uma maneira generalizada.
Fui alvo de atentado contra a minha integridade física. Por um autarca. De Nome ,José Maria Ministro dos Santos .A 28/12/2004, Acabando por sair de auto maca para o hospital. Recorri à Justiça de que V. Exa. é garante, ( a 30/12/2004.) e em que todos devemos acreditar. Fez a 2010/07/09, 6 (seis) anos, que estou à procura dessa Justiça. Que tarda em chegar.
Como é do seu conhecimento recorri a todos que estão ligados à justiça: Concelho Superior da justiça. Primeiro-ministro. Procurador-geral da república. Concelho superior do ministério público. Conselho superior de magistratura. Conselho distrital de Lisboa da ordem dos advogados. Informei o senhor Presidente da Republica. A Assembleia da Republica e seus grupos parlamentares, e a Ordem dos advogados. Pedindo ajuda e informação de como e como recorrer, da injustiça que fui alvo. Será que por ser pobre e humilde perdi os direitos que a constituição da Republica confere a todos os cidadãos ?
Quero agora recorrer ao supremo tribunal de Justiça, e estou a ser impedido Pelo Ministério Publico de o fazer. Só porque não posso pagar de uma só vez a quantia que ronda os 140 €, mais 195.75€= 335.75, pelo levantamento das certidões. Propus pagar em prestações. Foi indeferido sem qualquer explicação, de como poderei adquirir as mesmas. Ouvi: (vá pondo de lado uma quantia porque tem 6 (seis meses para o fazer). O que ouvi, é típico de uma ditadura que a Democracia já mais aceitará. Pagando sim mas de uma maneira, que possa no mínimo comprar o pão de cada dia. AFINAL PARA A JUSTIÇA SOMOS TODOS IGUAIS. OU É MENTIRA? Seria muito bom para a credibilidade da justiça perante os portugueses, que fosse feito um inquérito. Pedido diversas vezes. E ignorado, por quem o devia fazer. Para que haja Justiça COM VERDADE.OU A VERDADE NÃO CONTA NA JUSTIÇA QUANDO SE TRATA DE UMA QUEIXA FEITA POR UM POBRE QUE FOI AGREDIDO POR UM POLITICO ?
Em democracia senhor Ministro, o diálogo, é precioso. No tribunal fui condenado sem nunca ser ouvido, Porquê? Quando quis falar fui impedido. Porquê?) S. Exa. o senhor Presidente do Conselho D. de LISBOA da O. Dos Advogados, Carlos Pinto de Abreu ,diz que (já prescreveu, e que não posso mexer nos processos.)O senhor presidente recusou um pedido de audição durante seis meses. Porquê ?Quando me atendeu Disse que dar uma resposta . do que +poderia fazer . Ainda aguardo essa resposta .. Como tudo isto pode acontecer Senhor Ministro da Justiça ? Se nunca tive um advogado para recorrer. Desde 2006 foram nomeados 17 (dezassete) somente para que pedissem escusa, fazendo com que o tempo passe, sempre com a explicação de que não se podia fazer nada. Pedi que fosse feito inquéritos e nada aconteceu. Só porque não posso pagar os honorários de um advogado, estou a ser discriminado e torturado psicologicamente até um dia recorrer á justiça feita pelas próprias mãos , espero que essa não seja a justiça que Vexa defende? Senhor ministro da Justiça . estou á espera de uma resposta , que me informe das diligencias tomadas .
Exmo. Senhor Ministro. Para quem está sofrendo, cada minuto é uma eternidade. Com todo o respeito, Quero acreditar de que vou ser ouvido em tribunal.
Respeitosos cumprimentos
Zulmiro Lesto do Rego Bravo
Bi nº 1316980
NIf nº133147460

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook


Deixa um comentário