Loja no Brasil

Fui até sua loja, em Copacabana, para comprar um cartão de memória (micro SD com adaptador) para uma filmagem profissional, que ocorreu naquele mesmo dia. Na hora de obter informações sobre o produto, não havia nenhum funcionário disponível, apenas um, que estava numa longa conversa com um cliente, sobre outro assunto, que não era sobre um produto da loja. Ele parou sua conversa e me atendeu com pressa, eu perguntei se servia na câmera Sony e ele sem saber disse apenas que era micro SD e tinha de 4 e 8 gigas.

Eu quis olhar o produto (porque a marca não era a top de linha), mas ele apenas me deu um papel xérox que representava o produto, me mandou pagar e depois retirar no atendimento. Então, eu fui obrigada a comprar um produto sem ao menos ter visto ele (no direito dos consumidores consta que posso inclusive testa-lo). Na retirada, que demorou mais de 15 minutos (junto ao setor de trocas) perguntei novamente se cabia na Sony e ninguém soube responder. Pensei que tudo bem pois micro SD é micro SD, afinal e NÃO vinha na embalagem oficial do produto qualquer tipo de aviso de restrição. Mas o cartão era restrito e minha câmera não aceitou e seguindo o conselho de uma cliente da sua loja comprei outro da melhor marca em uma banca de jornais.

No dia seguinte retornei á Casa e Vídeo para trocar (segundo ao código do consumidor o cliente pode trocar um produto quando não lhe serve e principalmente sendo ele obrigado a comprar sem ver), mas dessa vez um funcionário maior na hierarquia respondeu que só troca produtos por defeito e não por insatisfação. Insatisfação?

Sim. Quanto ao atendimento da sua loja, que nem tem, pelo que tudo indica, treinamento básico aos seus funcionários. Tudo o que eles tem a dizer é não, não pode! Lá o cliente é o ultimo a ter razão.

O funcionário ainda me disse que todos os funcionários da loja sabiam que o cartão não era compatível com a Sony e me perguntou o nome desse funcionário que me vendeu o produto, como se fosse um ? erro ? . Eu não disse o nome porque eu sei que a corda estoura para o lado do mais fraco, porque eu não sou a única a reclamar dos serviços dessa loja, e sei que minha reclamação deve se direcionar á gerencia da loja, ou da rede inteira, que tem como filosofia de trabalho tratar clientes como lixo. É o que pude notar.

Ele disse que nessa loja não há vendedores, é uma loja de auto atendimento. Então recomendo que vocês pesquisem melhor o que é uma loja de auto atendimento. É justamente uma loja que para compensar a falta de vendedores, efetua trocas sim, inclusive por insatisfação, como é o caso das grandes redes americanas.

Esta foi a reclamação enviada para a empresa em questão, e como resposta, recebi da senhora “associada Viviane”, que se limitou a dizer, sem nenhum pejo e alheia a todas as questões formuladas, que “Referente a questão da troca, conforme consta no verso de seu cupom fiscal, o prazo é de 3 dias após a compra e o produto deve estar lacrado”. Resposta dissimulada, pois não foi essa a discussão. Não quero e nem tenho tempo para isso. São somente 40 reais, sei que esse valor é muito importante para muitas pessoas, mas, no meu caso, é anti-producente, gastaria muito mais de táxi e de tempo para ir até lá. O que contesto é a falta de respeito que essa empresa demonstra pelas pessoas.

By: José Carlos Saliba

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *