Manuel Nonato

Exmos senhores sou um empresário da construção civil e o caso que vou contar mais parece uma telenovela mas é um caso verdadeiro.

Um amigo daqueles em que a gente confia, um grande amigo, que talvez só fosse meu amigo quando precisava de mim, mas eu é que não queria ver .

Em 2009 convidou-me para lhe construir a casa, tudo bem, fornecemos orçamento e como amigos negociámos a empreitada. A certa altura disse-me que o banco estava a criar problemas quanto ao empréstimo tendo em conta que esposa tinha tido um problema de saúde , bom eu vou para o banco que por acaso é um dos bancos com quem trabalho e tentei com que passassem ao lado do problema até porque eu já estava a arder.
Tudo bem ate ai, durante a construção foram feitas algumas alterações à moradia, que ele sabia que tinham custos acrescidos ao orçamento e mais uma vez corria bem.
Na entrega da chave ficou todo satisfeito com os nossos serviços e uns dias mais tarde apareceu no nosso escritório para fazermos as contas onde concordou com tudo e que dali a uns dias me pagaria.

Não levou dias mas sim meses eu como já estava de prevenção tendo em conta que não era a primeira vez que acontecia com outros clientes desloquei-me a casa do fulano e disse-lhe que tinha-mos que facturar a obra como constava no contrato mas que não era tão grave assim porque ele só pagaria 5000 euros eu suportaria o resto.

Tudo bem, concordou e passados dias apareceu para pagar o resto da empreitada mais os trabalhos extras e que os 5000.00 me ia pagar aos poucos pois não tinha dinheiro.

Como não tinha outro remédio concordei e quando estava com o amigo em nada se falava mas quando o amigo estava com os amigos dele dizia que nada me devia.

Não gostei e enviei-lhe uma carta registada com aviso de recepção, passados dias recebo uma carta de um advogado a dizer-me que o senhor nada me devia pois não me restava mais nada que recorrer ao tribunal para receber aquilo a que tinha direito.

Passados alguns meses já com a informação do tribunal o mesmo advogado envia-me um fax a oferecer-me 2500€ não aceitei.

Mais uns dias, novo fax com a oferta de 2750€, também não aceitei , mas o melhor da história era o advogado dele a tentar acordos comigo e ele a dizer aos amigos que nada me devia.

Convidando-os a irem a tribunal dizer que me tinha pago tudo.

No dia 10 de Maio vamos a tribunal estava rodeado de colegas, eu não tinha testemunhas a não ser documentos e quando chega a minha advogada, o advogado dele oferece logo 2500€ não aceitamos e adiamos a audiência a pedido da minha advogada.

Meus amigos a conclusão desta história e simples quem tem amigos destes não precisam de inimigos.

By: JOAQUIM ALVES DOS SANTOS

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook


Deixa um comentário