Queixas Liberty Seguros

[Resposta] Reclamações sobre a Liberty Seguros

Exmos(as). Senhores(as) Reclamantes, Clientes e público em geral,

Tendo tomado conhecimento das reclamações reportadas neste portal mencionando a Liberty Seguros, procurámos de imediato identificar a que concretamente se referem, o que se revelou impossível uma vez que a maioria das exposições são anónimas e não referenciadas. Não passam, por isso, de composições livres de teor depreciativo e origem questionável (chegam ao ponto de anexar o logotipo da empresa), sobre as quais não nos pronunciaremos.

Três delas, que conseguimos identificar, dizem respeito a um só sinistro cuja evolução, não tendo sido favorável ao reclamante, não foi de forma alguma como aqui surge descrita.

Infelizmente para nós, não podemos vir a público e muito menos desta forma divulgar dados ou informações constantes nos nossos processos. A isso estamos obrigados pela Lei da Confidencialidade dos Dados, que respeitamos escrupulosamente – garantimos o sigilo absoluto das informações referentes aos nossos Clientes, a quem pretendemos prestar um serviço de excelência. A satisfação das expectativas dos nossos Clientes são a nossa razão de estar no mercado.

A Liberty Seguros orgulha-se dos resultados obtidos com o forte investimento e desenvolvimento de ferramentas na área da comunicação com o Cliente, pelo que convidamos todos(as) aqueles que, de alguma forma, se considerem prejudicados a nos contactarem através dos vários canais disponíveis, quer através do nosso portal (www, libertyseguros.pt), áreas de atendimento (213 183 500) ou mesmo ao nível institucional (ISP, CIMPAS, DECO).

Sendo tudo o que podemos oferecer sobre os temas reclamados, subscrevo-me com os melhores cumprimentos,

Carlos Jorge Leal dos Santos (Gestão de Reclamações)

Insatisfeito com a libertiy seguros

Tive um acidente muito grave de travalho e agora fiquei com muitas maselas graves e tou a espera que a companhia me mande para tribunal de trabalho mas ate agora ainda nada.

Já lá vão 9 meses desde o acidente e ando sempre a empatar, e pagam uma miseria por mes

Liberty Seguros

Tenham muito cuidado com os contratos que fazem com a Liberty Seguros e as suas artimanhas, sou um empresário e como tal tenho uma frota de viaturas.

Em Setembro de 2010 deixei de pagar o seguro de duas viaturas que tinham seguro de danos próprios a minha intenção era mudar para outra companhia pois tinha preços mais convidativos mas dias depois recebo uma carta da Liberty Seguros.

Ontem liguei para Lisboa uma vês que a carta vinha de la e disse à senhora que me atendeu o tel, que tinha da concorrência preços melhores que os deles a senhora diz-me não faça seguros em lado nenhum eu vou-lhe enviar por fax uma propostas para cada viatura passada uma hora tinha no meu escritório 2 propostas para cada viatura ainda não me satisfazendo volto a ligar e a senhora diz-me que vai reunir com os gestores para verem o que podiam fazer.

No outro dia recebo 2 propostas mais BARATAS o que já me agradou. Liguei falei com a senhora que se prontificou a enviar-me os contratos para assinar e documento para pagamento o que tudo foi feito no mesmo dia ora que fazem eles para concorrer com a concorrência como as viaturas tinham uma franquia de 2% passaram-nas para 4% e mais retiraram a substituição de vidros mas como tenho também um seguro de acidentes de trabalho a esse retiraram o subsidio de alimentação ao trabalhador e mais caricato no primeiro sinistro pagaram uma ninharia ao sinistrado e passado dois meses mandaram-no trabalhar que o que ele tinha não era com a seguradora.

Isto acontece em 28 de Fevereiro de 2011 e o homem ainda não trabalha com um esforço na coluna ora se isto não é com a companhia com quem háde ser?

Como não me conformei com a decisão enviei o problema para o tribunal do trabalho e fez uma queixa ao instituto de seguros de Portugal e de seguida enviei uma carta registada com AR a companhia a rescindir todos os meus contratos como não ficaram satisfeitos estão-me a mandar os certificados de tarifação com a informação de que e a Liberty Seguros tomou a iniciativa de anulação dos contratos ora vejam se isto não é malabarismo.

Gostaria que alguém me disse-se que nome tem PORTUGUESES ABRAM OS OLHOS ESSES MARMANJOS COMEM-NOS O DINHEIRO E QUANDO LHES MEXEMOS NA carteira arranjam logo forma de saltar do cavalo.

By: Joaquim Santos

Novo Código da Estrada by Liberty Seguros

Venho por este meio acrescentar mais uma queixa relativa à Liberty Seguros.
Estive envolvido num acidente no dia 21/7/2011.

Dados do acidente:
– Intervenientes:
– Veículo em que o condutor não necessita de carta de condução para circular – A;
– Motociclo – B ;

Descrição do Acidente:

– Veículo A encontra-se num cruzamento, com o pisca para a esquerda ligado;
– Como havia espaço na faixa de rodagem do lado direito do veículo A, o condutor do veículo B iniciou a ultrapassagem pela direita;
– No momento em que o veículo B já se encontra ao lado do veículo A (os condutores dos dois veículos encontram-se sensívelmente na mesma linha), o condutor do veículo A vira de repente para a direita, colidindo com a lateral do veículo B;
– Não resultaram feridos deste acidente, visto o veículo B não ter caido.

Foi apresentada uma reclamação à seguradora Liberty Seguros no dia 04/8/2011, onde foi incluído o auto efectuado pela GNR que constava a declaração de uma testemunha que se encontrava no local do acidente.

No dia 25/8/2011, recebi a carta de responsabilidades da seguradora Liberty Seguros, alegando que não iria cobrir os danos do meu veículo visto ter sido a minha manobra a causar o acidente (veículo B), alegando que esta manobra infringia o que se encontrava disposto nos artigos 35º, 36º e 38º do código da estrada (o artigo 37º foi curiosamente deixado de parte nesta análise).

Enviei de imediato um email para a Liberty Seguros, discordando da sua decisão e que passo a transcrever:

Bom dia,
Discordo da decisão por vós tomada visto no Código da Estrada, o artigo 37 (Excepções) contemplar a manobra por mim efectuada conforme descrições apresentadas no auto da GNR e na declaração efectuada pela testemunha que consta no mesmo auto.

No artigo acima mencionado (37º – Excepções), o ponto 1 menciona o seguinte caso:
– Deve fazer-se pela direita a ultrapassagem de veículos ou animais cujo condutor, assinalando devidamente a sua intenção, pretenda mudar de direcção para a esquerda ou, numa via de sentido único, parar ou estacionar à esquerda, desde que, em qualquer caso, tenha deixado livre a parte mais à direita da faixa de rodagem.

Tendo em conta o artigo 37 e as descrições apresentadas no auto (que foi efectuado em conjunto com o condutor do outro veículo envolvido) e no testemunho, não posso concordar com esta decisão e aguardo por uma nova decisão ou explicação pormenorizada da mesma.

Qualquer dúvida, não hesitem em contactar-me.
Desde já, obrigado.

Foi-me enviada uma resposta a este email, no dia 30/8/2011 com a seguinte informação:

Exmo. Sr. ,

Acusamos a recepção do seu e-mail, cujo conteúdo mereceu a nossa melhor atenção.

Procedemos à reanálise do processo.

Com efeito, lamentamos mas não nos será possível alterar a posição anteriormente comunicada.

No local onde ocorreu o sinistro, não existe sinalização que impeça o nosso segurado de mudar de direcção, já a manobra de ultrapassagem deveria ter sido acautelada, ainda mais ocorrendo num cruzamento, o que não aconteceu, recaindo sobre aquela, o nexo causal do sinistro, conforme o disposto no artigo 38º, do Código da Estrada.

Foi enviado novamente um email com um novo pedido de esclarecimento que passo a transcrever:

Boa tarde,
Peço desculpa pela insistência neste assunto, mas não entendo a justificação, relativamente à decisão enviada por vós e que de seguida passo a transcrever:
“No local onde ocorreu o sinistro, não existe sinalização que impeça o nosso segurado de mudar de direcção, já a manobra de ultrapassagem deveria ter sido acautelada, ainda mais ocorrendo num cruzamento, o que não aconteceu, recaindo sobre aquela, o nexo causal do sinistro, conforme o disposto no artigo 38º, do Código da Estrada.”
O artigo 38º do código da estrada diz o seguinte:
1 – O condutor de veículo não deve iniciar a ultrapassagem sem se certificar de que a pode realizar sem perigo de colidir com o veículo que transite no mesmo sentido ou em sentido contrário.
2 – O condutor deve, especialmente, certificar-se de que:
a) A faixa de rodagem se encontra livre na extensão e largura necessárias à realização da manobra com segurança;
b) Pode retomar a direita sem perigo para aqueles que aí transitam;
c) Nenhum condutor que o antecede na mesma via não assinalou a intenção de ultrapassar um terceiro veículo ou de contornar um obstáculo.
3 – O condutor deve retomar a direita logo que conclua a manobra e o possa fazer sem perigo.
4 – Valor da coima.
Relativamente ao ponto 1 do artigo 38º, visto ter sido o veículo do vosso segurado a colidir com o meu, não me pode ser imputada qualquer responsabilidade. (Conforme depoimento que se encontra no auto da GNR, incluindo o da testemunha, que se encontra na página 3, a partir da linha 7 no tópico descrição do acidente)
Relativamente ao ponto 2 do artigo 38º:
– Ponto a) Visto ter sido o veículo do vosso segurado a colidir com o meu e o meu veículo não ter colidido com nenhum outro, garante-se que existia largura suficiente para a realização da manobra em segurança;
– Ponto b) Já me encontrava à direita;
– Ponto c) O embate não envolveu nenhum outro veículo;
Relativamente ao ponto 3 do artigo 38º, o meu veículo já se encontrava do lado direito da faixa de rodagem;
Tendo em conta o descrito no auto da GNR (incluindo o depoimento da testemunha, que se encontra na página 3, a partir da linha 7 no tópico descrição do acidente), não entendo o porquê de me ser atribuida a culpa do sinistro.
Que outra cautela deveria ter sido tomada antes de efectuar a manobra? Após leitura do código da estrada não encontro outros pontos evidênciados.

Gostaria ainda de acrescentar alguns pontos relativamente ao que consta no código da estrada e o que sucedeu:
A ultrapassagem por mim efectuada encontra-se contemplada no código da estrada, no artigo 37º, e que passo a transcrever: Deve fazer-se pela direita a ultrapassagem de veículos ou animais cujo condutor, assinalando devidamente a sua intenção, pretenda mudar de direcção para a esquerda ou, numa via de sentido único, parar ou estacionar à esquerda, desde que, em qualquer caso, tenha deixado livre a parte mais à direita da faixa de rodagem;
Quanto à manobra do outro condutor, o mesmo não se pode dizer, tendo em conta que:
– O condutor encontrava-se num cruzamento com pisca para a esquerda e vira para direita (conforme depoimento da testemunha, que se encontra na página 3, a partir da linha 7 no tópico descrição do acidente), sem fazer a devida sinalização e sem respeitar o que consta no artigo 12º do código da estrada, que passo a transcrever: 1 – Os condutores não podem iniciar ou retomar a marcha sem assinalarem com a necessária antecedência a sua intenção e sem adoptarem as precauções necessárias para evitar qualquer acidente.
Gostaria ainda de questionar se o que foi descrito por uma das testemunhas e que se encontra no auto (página 3 a partir da linha 7 no tópico descrição do acidente), foi tido em consideração para a tomada desta decisão?

Cumprimentos,
Hugo Matos.

Foi-me enviada uma nova carta, no dia 7/9/2011 com o seguinte texto:

Porém, atendendo a que nenhum facto ou elemento de prova novos foram apresentados, lamentamos informar que não nos será possível alterar a posição transmitida na nossa anterior comunicação.

Esta carta, tal como podem verificar não responde a nenhuma das minhas questões e não alega qual o real motivo, com base no código da estrada, para que me seja atribuída a culpa do sinistro.

Julgo que no código da estrada que a seguradora Liberty Seguros possui, existe mais uma cláusula que diz que todos os condutores deveriam estar dotados do poder da adivinhação! Porque só assim é que eu poderia acautelar a ultrapassagem, adivinhando que o condutor da frente (segurado da Liberty), apesar de estar num cruzamento com pisca para a esquerda, o que queria realmente era virar para a direita… Enfim…

Neste momento, resta-me efectuar uma participação ao ISP e ao CIMPAS (Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros), para que a minha situação seja finalmente resolvida.

Desejo melhor sorte a todos vocês.

Cumprimentos,

Hugo Matos

Liberty Seguros SA

Sou dono de uma empresa de construção civil que tenho como responsável pelos acidentes de trabalho e ramo automóvel a Liberty Seguros. 

Sempre teve na ideia que a LIBERTY SEGUROS SA fosse como eles diziam uma empresa diferente das outras com mais seriedade mais valor, mas só me apercebi que estava enganado quando no dia 28 de Fevereiro um funcionário meu a descarregar manualmente um bloco de cimento com as dimensões 50x20x20 com mais ou menos 20 kg de peso sentiu uma dor nas costas que o impediu de se mexer mais   foi encaminhado para o hospital de s. marcos em Braga onde foi assistido e mandaram-no para casa repousar frisemos a participação a companhia seguradora  LIBERTY  que so o encaminhou para os médicos da mesma passados 10 dias mandaram-no faser fisioterapia depois para as pichinas e so ao fim de 2 meses se lembraram faser-lhe uma ressonancia magnetica onde esles disem que o problema do sinistrado ja e um caso velho e não podera a companhia assumir responçabilidades     ora estamos a falar de um trabalhador com 23 anos trabalha desde os 16 na mesma empresa numca sofreu de nada e vem estes camaradas agora sacudir a agua do capote , como e obio e como patrão entendi pedir explicações a companhia ate porque lhe tinham enviado um cheque como pagamento do tempo parado cheque esse que eu nao concordei com o valor   mas qual foi o meu espanto ao ser atendido por uma funcionaria da companhia muito arrugante que em nada me esclareceu e que eu nada tinha a ver com o cheque que o funcionario tinha recebido  não convencido porque entendo que isistem direitos e deveres e temos que os assumir  ilucidei o funcionario a faser uma queixa no tribunal de trabalho assim aconteceu aonde prenchi o formolario que me era devido ,  mais tarde recebo uma carta registada com aviso de recepção a dar-me conhecimento que uma das minhas viaturas que termina o seguro em agosto sera por eles anulada a apolice  nao convencido ate porque não lhes devo nada contactei a LIBERTY EM LISBOA que me mandou entrar em contacto com a filial em BRAGA assim fes e a resposta que me deram e que não tinham intere-se em ter aquela viatura  segurada ora vejam so uma viatura que nunca teve assidentes e fasem isto e obio que vao faser com todas as outras sabem porqué porque os ameacei com os tribunais e sabendo que foi o segurado que insentivou o trabalhador a ir para o tribunal do trabalho pensando que me estariam a faser uma desfeita não me querem mais como segurado meus amigos muito coidado com estes malabaristas  assina  joaquim santos
Liberty Seguros
By: joaquim alves dos santos

Liberty Seguros

Meus senhores o conselho que vos dou é que quem tiver contractos de seguros de acidentes de trabalho com a Liberty Seguros tenham muito cuidado porque é só máfia!

Eu conto a novela:

Sou um empresário da construção civil e no dia 28 de Fevereiro de 2011 um funcionário meu fez um esforço sentiu uma dor nas costas que o deixou paralisado.

Enviei, de imediato, o sinistrado para o hospital e de fiz a comunicação à companhia de seguros. Ao fim de 15 dias enviaram o sinistrado para a clínica da seguradora para ser acompanhado pelos seus médicos e fizeram-lhe imensos exames.

Ao fim de 2 meses, deram alta ao sinistrado alegando que o que ele tinha já era muito velho. Ora meus amigos, o sinistrado tem 23 anos trabalha desde os 18 nunca se queixou de nada nunca esteve 1 dia de baixa medica por nada como é que estes pacóvios vem dizer que o que o homem tinha era um problema velho?

Mas a minha indignação vai no sentido de como pode uma seguradora mandar um sinistrado trabalhar se não o trataram? O homem não pode trabalhar com o problema da dor frequente e eles estão-se nas tintas.

O facto é que quando o homem teve o problema estava a trabalhar e estava coberto pela responsabilidade civil da companhia de seguros Liberty.
Liberty Seguros
Como patrão não aceitei a decisão e pedi por cartas registadas com aviso de recepção e Emails uma justificação para o que se estava a passar, pois meus senhores ainda hoje passados 2 meses estou a espera de resposta.

Como é óbvio retirei o seguro logo de imediato e fiz noutra companhia.

Mas não convencido  enviei  o problema para o tribunal do trabalho e dei a conhecer este facto ao instituto de seguros de Portugal como são vigaristas estas seguradoras.

By: j.santos

As mentiras da Axa e da Liberty Seguros

As mentiras da Axa e da Liberty Seguros

Venho por este meio alertar para o cuidado a ter com estas duas Companhias de Seguros e as mentiras dos seus colaboradores.

Após participação de acidente de viação à Axa, ocorrido a 7/11/2010, a mesma enviou carta com a decisão que a responsabilidade do mesmo era do outro interveniente que era segurado da Liberty.

Como o outro interveniente nada participou à sua companhia, foi feita participação à Liberty a qual abriu um processo IDS Devedor e informou que assumia a responsabilidade a 100% do sinistro.

Posteriormente, a Axa informou que reanalisou o processo e decidiu atribuir 50% para cada uma das partes. Inquirido um funcionário do balcão do Porto, o mesmo informou que essa reanalise foi motivada por uma contestação do outro interveniente por não concordar com a decisão, informação essa contrariada pela linha de apoio que me mandou perguntar a esse senhor onde ele tinha ido desencantar essa informação pois nada constava no processo sobre qualquer contestação.

logo-axa

Uma vez que a Axa não aceitou o processo pela via IDS, a Liberty abriu novo processo este de gestão tradicional no dia 19/1 após contacto com a linha de apoio no qual mais uma vez a colaboradora informou que assumiam a responsabilidade a 100%.

logo liberty seguros

Após conclusão deste processo, viraram completamente a informação que até então tinham dado e rejeitaram toda e qualquer responsabilidade do acidente, com a justificação falsa e absurda de que efectuava uma mudança de fila de transito, quando todas as provas documentais e testemunhas apresentadas  demonstram que ambas as viaturas viravam à direita, tendo o outro interveniente saída da traseira, e ao ultrapassar pela direita provocou a colisão. De referir que o outro interveniente não comunicou o acidente à sua Companhia como é de lei.

Contestei para a linha de apoio tendo mais uma vez explicado o acidente e dizendo que era falso o argumento utilizado para se limparem da responsabilidade e para cumulo, a funcionária da linha de apoio disse e passo a citar “mas na participação diz que viravam ambos à direita” A Liberty deve ter um código da estrada especial no qual uma viragem à direita é uma mudança de fila de transito.

Por tudo isto e outras mentiras recomendo muito cuidado com estas duas Companhias de Seguros e se possível gravem as conversas telefónicas pois a Liberty mesmo com as conversas telefónicas gravadas nas quais assumiam a responsabilidade, respondeu e passo a citar “No que diz respeito à assumpção de responsabilidade, não existe qualquer informação de que a Liberty assumiu alguma vez a responsabilidade no presente sinistro.”

Pela minha parte, AXA e Liberty nunca mais enquanto segurado e rezo para que nunca mais tenha um acidente com segurados destas companhias.

António Marques