Queixas Millennium bcp

Millennium BCP não Paga Garantias Bancárias que a própria emitiu. “BCP bateu no Fundo”

Antes de mais queremos iniciar neste fórum enaltecendo a existência deste site e principalmente do trabalho nele realizado.

Pois entendemos que com mérito visa alertar a realidade praticada por determinadas instituições que usam e abusam do seu poder para praticar praticas muito impróprias abusando da sua posição.

Por tudo isto aplaudo a iniciativa e deixo a baixo o nosso contributo sumário relativamente a um caso de contornos escandalosos e graves que se passou no Banco Comercial Português e que se encontra agora na barra dos tribunais e noutras instâncias passíveis de intervenção. Assim sendo expomos o mesmo abaixo para publicação e divulgação do mesmo.

O Banco Comercial Português emitiu Garantias Bancárias a Clientes que agora já não Paga, tal como, a Garantia Bancária nº 125-02-1335075.

Presta-se o Millennium BCP a emitir uma Garantia Bancária e a quando do accionamento por existir incumprimento assumido por parte da ordenadora através de documentos escritos, o Banco BCP Millennium torna-se parcial, abusa, age de má fé e declina gravemente às suas responsabilidades e obrigações e não paga a Garantia Bancária.

O Banco Comercial Português ignora gravemente os factos reais e o valor jurídico de toda a documentação existente, principalmente do acordado e assinado pelas partes.

Por tudo isto não podemos chamar isto um Banco, mas sim… sem qualificação.

O Banco Comercial Português vergonhosamente rompe e rasga descaradamente o que assumiu. Estamos perante um ESCANDALO COLOSSAL protagonizada pelo Millennium BCP. “Paguem o que devem e que assumam as suas responsabilidades e obrigações como Banco”.

A dimensão deste banco é muito duvidosa e assumidamente questionável, pois o seu valor (Millennium) no mercado bolsista já nada vale e é o Banco que menos valor tem no mercado, o que já quer dizer tudo.

Tenham cuidado com o Millennium BCP, pois o que esta estipulado para cumprir em termos de responsabilidades e obrigações para eles já não terá valor/mesmo valor.

Não podemos deixar passar impune este tipo de extermínio lesivo levado a cabo sem escrúpulos. Vamos denunciar esta pouca vergonha. Este caso já está a ser divulgado e tratado pelas várias instâncias competentes. Estão já a preparar-se nos bastidores junto de uma instância partidária/accionistas uma nova administração e o descontentamento dos accionistas é evidente face a toda esta vergonhosa actuação e inacção do BCP.

Quem assinou esta actuação terá as suas consequências. O Millennium “bateu no fundo” e já não paga as garantias bancárias que ela própria emite.

Estamos perante um escândalo que já está a ser divulgado e tratado nas várias instâncias.

Está previsto sair este caso já numa revista e em mais dois órgãos de comunicação. Leiam. Tenham cuidado. “Passem a palavra” e denunciem este/estes casos.

Millennium BCP

Eu fiz um credito pessoal no BCP mas por motivos de desemprego deixei de poder suportar a prestação mensal que tinha e dirigi-me ao Gabinete de Sobre-Endividamento da Deco.

Lá falei com uma jurista que me aconselhou a tentar negociar os vários créditos que tinha no momento de forma a poder pagar a todas instituições de credito.Eu concordei e foram feitas varias diligencias formais de poder negociar os famosos créditos.

Das varias instituições que foram contactas o BCP foi das poucas que nunca respondeu aos apelos da Deco.

O tempo passava, eu finalmente arranjei emprego e apressei-me a contactar o BCP, mas estes disseram.me através da linha de apoio ao cliente que aquele credito já não estava em poder deles e encaminharam-me para uma empresa com o nome: INTRUM JUSTICIA.

De seguida contactei com esta empresa e eles informaram-me que eram os responsáveis por receber as quantias dos créditos que estavam em incumprimento, manifestei as minhas intenções e eles facultaram-me o contacto da advogada responsável pelo processo.

Liguei para a Sr.ª em causa e foi negociado telefonicamente um montante mensal que iria depositar na conta dela.

Assim foi durante 18 meses mas fui agredido violentamente do qual ganhei lesões corporais serias e um maxilar inferior fracturado.

Estive parado vários meses e a minha esposa fez um telefonema para a advogada a informar o sucedido mas ela não estava e falou com o pai da Sr.ª.

Ela nunca me contactou o tempo passou, na verdade passaram anos até ao dia em que me vi confrontado com uma penhora de vencimento.

A Sr.ª não levando em consideração aquilo que já tinha pago executou o total da divida acrescentando os juros desde o inicio e mais as despesas judiciais.

Felizmente ainda tinha em meu poder as transferências que tinha feito para sua conta e procurei uma advogada para me poder defender da penhora de vencimento e apurar a divida.

Ela contactou a advogada do BCP em Maio passado mas até ao momento a Dr.ª do BCP não cumpriu com as promessas que lhe fez, nem tão pouco assumiu as transferências bancarias que recebeu.

Resumindo o BCP não quer negociar divida nenhuma, nunca quis, uma vez que nunca deu resposta à jurista da Deco e eu tenho provas disso, portanto penso que existe uma forma perversa e deliberada de ganhar mais dinheiro com o incumprimento da minha parte e começo a suspeitar da idoneidade da Sr.ª Dr.ª que não apresenta contas das quantias que recebeu.

Queixas Millennium bcp

Clientes do millennium na verdade eu não fico surpreendido quando os banqueiros dizem que só em três meses tiveram milhares de lucro e agora ainda vão deitar a mão aos doze mil milhões que vêm emprestados para nós pagarmos.

Mas a minha questão vai de encontro ao roubo porque entendo que ladrão não é só aquele que nos assalta e nos leva o dinheiro sem a nossa autorização. Ladrões são aqueles a quem nós confiamos o nosso dinheiro o pouco que os nosso governantes nos deixam.

Sou um pequeno empresário, trabalho com três bancos diferentes  e não vou divulgar o nome dos outros dois pois trabalho com eles há muitos anos e ainda não me fizeram o que está a fazer o millennium bcp.

A minha esposa passou dois cheques um de 200.00 e outro de 268.00 como tenho mais que uma conta no millennium ela nao se lembrou de transferir dinheiro de uma conta para a outra ora os cheques foram devolvidos.

Sim senhor, até ai tudo bem mas agora vem o melhor do roubo o millennium cobrou-se logo de 31.20 de cada devolução. Ao nos aprecebermos de que os cheques foram devolvidos tivemos logo de imediato o cuidado de fazer a apresentação dos cheques ao banco para justificação pois tínhamos pago às pessoas que tinham os cheques.

A senhora viu os cheques carinbou-os no verso onde nem uma data existe em como foram apresentados , qual a minha supresa  ao ir à internet ver o saldo e movimentos da referida conta e aparecem dois movimentos de 50.00 cada um.

No extrato dizia despesas de justificação de cheque ora como não fiquei nada satisfeito foi pedir informações se era assim que funcionava o banco sempre que se devolve-se um cheque o custo para o emissor do cheque era de 81.20.

Meus senhores estamos a falar de 16000.00 mil escudos em moeda anterior e então a senhora responde dizendo so acontece isso quando os cheques são apresentados fora de prazo.
Eu disse minha senhora os cheques foram apresentados dentro do prazo legal sabem qual e a resposta? Isso é o senhor que diz para nós foi ao contrario.

Eu disse pois a senhora tem razão nem uma data pós no cheque como posso eu provar seja la o que for  se isto não é um assalto então não sei o que é roubar.

By: Joaquim Alves dos Santos

País de pilantras

Estava a pesquisar na net e deparei-me com esse site. Vendo tantas queixas e em muitas me incluo, será que não nenhum órgão competente que veja e tome as devidas atitudes contra essas atrocidades?

Quando digo que me incluo, me refiro que fui burlada pela Extra-Consumo, pela Ediclube. A TMN é uma pouca vergonha porque inventa consumos em net móvel, o e-escolas é a maior vigarice que pode existir.

A EDP é outra com consumos loucos numa casa habitada por 3 pessoas que passam a maior parte do tempo ou no trabalho ou na escola. A minha casa tem consumo de um café!

Eu também estou espantada até hoje que ainda não recebi uma explicação plausível para esse consumo.

Quanto a bancos, o Millennium tem muito que se diga, sendo divorciada e tendo o meu ex-marido, por acordo, enquanto a partilha de bens não é resolvida, ficar na residência e pagar as despesas da mesma o que o sr se lembrou de fazer?

Abrir uma conta nova e assim passar o empréstimo do imóvel para essa conta, SEM MINHA AUTORIZAÇÃO. Eu fui ver se o empréstimo estava em dia, quando para minha surpresa na estava na conta conjunta. Questionei o banco o porquê. Me disseram que houve um pedido de uns dos titulares para passar para outra conta. Bem, eu perguntei com ordem de quem se o emprestimo tem dois titulares, sendo que eu não dei autorização nenhuma. O empréstimo voltou à conta original depois de muita discussão e ameaça.

Mas com relação a isso tudo e a outras pessoas, como poderemos ser ressarcidos de todos esses prejuízos já que mesmo que valores sejam repostos, nunca são pagos indemnizações em sujarem os nossos nomes? Como empresas dessas que se dizem honestas, sempre saem impunes das vigarices que praticam? Porque a DECO e outras entidades competentes não fazem nada?

PORTUGAL ACORDA!!!!!!

By: maria cecilia nogueira

Millennium bcp

Millennium bcp

Exmos.Senhores.

Venho desta forma mostrar a minha indignação, dar a conhecer um abuso, um atentado, uma forma de coação, praticada por uma entidade que no mínimo deveria pautar-se pela seriedade.

Passo aos factos. Vou tentar resumir ao máximo a minha denuncia, pois está para fazer sete anos que tudo começou e até hoje este caso dá um filme.

Sou cliente do milenium bcp em Barcelos com a conta à ordem nº 98320074, conta essa que tem associado um crédito à habitação.

Acontece que em Julho de 2004 sou informado pelo meu extracto bancário mensal, ter a minha conta a descoberto.

Encetei diligencias no sentido de apurar o porquê, visto eu nunca ter pedido qualquer quantia ou solicitado o que quer que fosse, verifiquei nos extractos anteriores e não detectei qualquer deposito anormal, até porque a minha conta oscilava constantemente com milhares de euros. Pedi explicações ao gerente da sucursal em Barcelos e obtive como resposta “a sua empresa criou-lhe um plafond se o gastou o seu remédio é pagar“. Fiquei atónito, como é possível?

Perante tal coisa e uma vez que não percebo patavina das falcatruas praticadas por senhores como os autores desta, não tive alternativa em ter que enfrentar aquilo que veio a seguir.

Uma vez que tinha que fazer o deposito para pagamento do crédito à habitação, fui impedido de o fazer com o argumento de que o montante depositado seria absorvido pelo negativo.

Assim estive oito meses com o referido crédito em atraso.

Uma vez que estava nesta situação e começavam as ameaças recorri ao tribunal de Barcelos, queixando-me do bcp. Perante isto resultou no facto de o banco aceder aos depósitos por mim efectuados para pagamento do crédito em causa, visto não poderem impedir o pagamento do mesmo.

Millennium bcp

Em relação ao facto da alegada verba que argumentam que eu gastei,o tribunal não vendo matéria criminal arquivou dizendo que era matéria para a entidade supervisora.

Ora perante estes factos levou a que eu fizesse várias queixas junto do banco de portugal, mas nunca surgiu qualquer efeito, o mais incrível é que numa das queixas, o bdp questiona o bcp com a minha queixa, o bcp informa por escrito o bdp que o cliente em causa nada deve e assim o bdp dá o assunto por encerrado em virtude da resposta do bcp.

O que é certo é que eu estou cadastrado no banco de portugal vai com sete anos.

Cansei de apresentar queixas, foram inúmeras, banco de portugal, bcp, administração do bcp, por ultimo junto do provedor do cliente.

Nada resulta,o facto é que eu não devo, não sei como me meteram nisto, sou coagido e ameaçado constantemente, mas o mais incrível é que tanto oral como por escrito já disse aos responsáveis por esta artimanha :se devo porque razão não accionam os meios legais para receberem?

Ao contrario de andarem a coagir. Como por ultimo, acrescentarem juros na conta à ordem.

Sobre este facto pedi por escrito uma explicação, a resposta veio em carta aberta!!!! Não colaram a mesma, a informação nela contida deveria ser sigilosa, mas os responsáveis mais uma vez fizeram aquilo que sempre pretenderam, que é coação e o achincalho pelo facto de eu não ceder aos seus objectivos.

Agora ao contrário do que deviam fazer, comunicam-me que não aceitam os depósitos para pagamento do crédito à habitação.

Contrariando o que foi dito no tribunal de Barcelos e o que tenho feito à sete anos a esta parte.

Estou estupefacto neste país vale tudo, estas atitudes são de quem, com a sua prepotência usam o lema do quero posso e mando, mesmo que para isso atropelem as leis.

Recorri por ultimo ao provedor do cliente do bcp, mas pelos vistos ou o assunto é complicado ou então de nada vale, pois entendo que já é tempo de me enviarem uma resposta. Caso eu não tivesse razão de certeza que já mo tinham dito.

Conclusão, temos um banco que argumenta que eu lhes devo, usam todas as artimanhas para me coagir, agora novamente com a ameaça de não me deixarem pagar o meu crédito à habitação e o mais incrível é não accionarem os meios legais para receberem a hipotética divida.

Sou pessoa de bem, funcionário publico à trinta e um anos e tenho bens.

Deixo uma pergunta: qual o problema de accionarem os serviços jurídicos para receberem o que dizem, ou será que tanto quanto eu, não sabem sequer quanto é.

Sim porque ao banco de Portugal informaram que nada devia e durante estes sete anos e as várias cartas que recebi todas elas traziam quantias diferentes.

Perante tudo isto tenho ou não direito a que seja debatido em tribunal o que efectivamente se passou com a minha conta.

Termino dizendo que me coloco à disposição daqueles que assim entendam, uma vez que estou munido de dezenas de documentos que atestam a minha razão e contado oralmente este assunto será mais fácil, pois como já disse toda a envolvencia deste assunto, escrito dá um livro.

Com os meus cumprimentos

António Miranda Pereira