Reclamação sobre a Area Infinitas NorteShopping

Assunto: Reclamação / Solicitação de devolução do valor do artigo em numerário ou transferência

Passo a explicar mais abaixo o assunto pelo qual escrevo esta reclamação.

No passado dia 29 de Agosto de 2010 dirige-me à loja Area no Norte Shopping, em Matosinhos, afim de adquirir uma cadeira Gliss Cad. Branca para colocar numa das clínicas do Grupo Vital Center Lda.
Esta cadeira , à partida, seria igual a outras tantas adquiridas há aproximadamente 1 ano.

Para isso, e porque não tinham em stock, fui informado pela colaboradora Cristiana Leal que teria de efectuar uma reserva. Esta reserva para ser oficializada obrigaria a uma quitação de parte do valor da mesma. Efectuei de imediato a liquidação de parte do valor total de €99 C/iva incluído.

Foi-me dado um documento com o valor em questão que teria de trazer aquando o levantamento da mesma.
Passados alguns dias fui informado via telemóvel que a cadeira se encontrava disponível para levantamento.

Quando tive oportunidade dirige-me à referida loja no NorteShopping para proceder ao levantamento da mesma.
A mesma apresentava-se empacotada. Liquidei o valor em falta e levei-a para a referida clínica.

Após o processo de montagem da cadeira, deparei-me que a mesma apresentava um defeito pois baloiçava originado pelo desnível das pernas.

Dirige-me à loja Area do NorteShopping para proceder à sua troca. Uma das colaboradoras da loja confirmou que a mesma apresentava defeito tendo procedido à devolução e encomenda de nova cadeira.

O processo repete-se mais duas vezes.

Ligaram-me da loja, dirigi-me à loja, montei a cadeira na própria loja, e ambas baloiçavam.

Ora, como todas as cadeiras adquiridas à um ano não apresentavam este defeito, eu referi à colaboradoras Susana Brandão e Ana Vieira que o que eu procurava era uma cadeira que não baloiçava, pois, a meu ver, uma cadeira que custe €99 não poderá apresentar-se desta forma.

Fui informado que não valia a pena encomendarem mais cadeiras pois todas as que viessem apresentariam o mesmo problema. Referiram-me que as cadeiras teriam um defeito de produção.

Perante este facto solicitei a devolução do valor liquidado anteriormente.

Nessa altura informaram-me que não era prática da loja Area devolverem o valor.
Naturalmente que pareceu-me um esforço natural de uma empresa em dissuadir o cliente de recuperar o que é seu.
Acontece que, para o Grupo Vital Center, não existe nenhum item de interesse na loja Area, e por isso receber um valor em cheque não é justificável.

Procedi à leitura das condições gerais de Venda da loja Area.

Pude verificar que todos os artigos se encontram separados por temas:

Se verificarmos o artigo “7- Reclamações” podemos constatar o seguinte:

“ Em caso de defeito ou falta de alguma peça, o Comprador deverá informar o Vendedor…”

Eu informei três vezes o Vendedor.

Mais abaixo podemos ler o seguinte:

“Verificando-se o defeito ou falta de qualquer peça, o Vendedor garante a reparação ou a substituição dos Artigos com defeito…”

Procedi à devolução por três vezes ao Vendedor do Artigo. Não me garantiram reparação. Substituíram a cadeira três vezes. Informaram-me que seria um defeito de produção e que por isso não existia razão para insistirem na encomenda de novas cadeiras.

Mais abaixo no artigo 7 podemos ler o seguinte:

“Poderá ainda devolver ao Comprador o valor correspondente aos artigos contestados”

Solicitei a devolução do valor na mesma forma que foi adquirida a cadeira. Fui informado por Susana Brandão que não tinha autonomia nem independência para o fazer não podendo resolver o meu caso. Apesar de ter-lhe explicado que os meus direitos se encontravam salvaguardados pela Lei n.° 24/96 de 31 de Julho, e até pelas condições gerais da loja Area que eleva o meu direito à devolução do valor em questão.
A dita cadeira ficou retida na loja.

Procedi ao pedido do livro de reclamações e fiz uso do meu direito enquanto consumidor.

Nessa altura e porque estava a preencher o livro de reclamações foi-me dito pela colaboradora Susana Brandão que iria falar com o Director Comercial para que analisasse o meu pedido. Expliquei de forma clara que pretendia efectuar a resolução de contrato e por isso era a única situação que me interessava. Afirmou que iria expor o caso e consequentemente me iria ligar no próprio dia.

Saí da loja confiante que as minhas expectativas e os meus direitos iriam ser satisfeitos. Isto acontece numa sexta-feira, 10 de Setembro.

Não fui contactado no próprio dia.

Liguei no seguinte sábado. Fui informado que o Departamento comercial não trabalhava ao fim-de-semana e por isso me daria uma resposta na segunda-feira sem falta.

Não fui contactado na segunda-feira.

Liguei na quarta-feira, dia 15 de Setembro. Falei com a colaboradora chamada de Natália que me informou que iria falar com Susana Brandão e que o meu assunto seria resolvido pois o Director Comercial estaria na loja por volta das 15h.

Liguei por volta das 16h e falei com outra colaboradora que me informou que Susana Brandão estaria em formação e que nos dois dias seguintes estaria de folga pelo que o melhor seria apenas ligar no seguinte sábado.

Por volta das 21h30 fui contactado pela colaboradora Ana Vieira. Esta foi a primeira vez que fui contactado por um elemento da loja Area para proceder à resolução do meu caso.

Ana Vieira disse-me que após falar com o Director Comercial que o mesmo estava disposto a fornecer um vale do respectivo valor e que poderia usá-lo pelo prazo de um ano. Mais uma vez referi que o que eu procurava era a resolução do contrato com a dita devolução do valor. Mais uma vez, esta situação está prevista na lei.
Foi-me dito que não podia fazer mais nada por mim e que deveria ligar para o serviço de apoio ao cliente. Este número de apoio ao cliente que eu tinha tentado ligar durante a última semana pelo menos três vezes e da qual não obtive nenhuma resposta a não ser de um atendedor automático.

Portanto,faço um alerta para a aquisição de artigos na Area. Se não reclamarem a empresa nunca alterará os seus comportamentos.

O meu processo continua em análise e irei avançar judicialemnte caso não obtenha respota no prazo de 30 dias.

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook


11 Comentários para “Reclamação sobre a Area Infinitas NorteShopping”

  1. Pedro Carvalho diz:

    pena não saber destes problemas antes.

    No passado dia 9 de Dezembro de 2012 comprei um candeeiro que estava em promoção(etiquetado) na loja do Norteshoping. Como só tinham o de exposição encomendaram um para levantar no dia 12/12/2012.
    Quando neste dia fui buscar o candeeiro queriam-se pagar do valor total do candeeiro, pois (dizem) a promoção tinha acabado no dia 8 de Dezembro. (se assim era como estava o candeeiro ainda etiquetado com a promoção em 9 /12?).

    informando-me que não podiam pagar-se do valor em promoção pedi a restituição do valor entretanto dado em 9/12. Qual o meu espanto quando me dizem que também não o podem fazer pois o serviço de apoio ao cliente (????) não estava aberto.
    (Como se percebe que uma loja não tenha este serviço aberto nos horários normais em que a mesma está aberta para poder servir o cliente??).
    Tive que ligar para a loja, hoje (13/12), o que consegui ao fim de muitas e longas insistencias. Espantosamente continuam a informar-me que vão ter que analisar o sucedido e entrarão em contacto, posteriormente, comigo.
    As más experiências sucedem-se. Será só azar…??
    Aguardo os próximos capítulos…..

  2. Rui Dantas diz:

    Boa tarde
    Pena não ter lido antes todos estes vosso comentários pois assim nunca compraria nada na AREA Norteshopping.
    Ontem dia 5 Novembro 2012 dirigi me á loja para apresentar queixa no livro de reclamações tudo porque adquiri uma mesa no dia 31.07 e teria de aguardar segundo eles mais ou menos 8 semanas, o que acontece é que no fim de setembro voltei á loja para questionar como estava o envio da minha mesa que já a tinha pago por inteiro 239€ e segundo um dos responsáveis Diogo Lemos disse que tinha chegado uma mesa mas que vinha com defeito e voltou para trás logo teria de esperar mais um mês, mas em tom irónico disse me também que ate puderia demorar a vida toda pois todo o tempo de espera de artigos era de mais de 8 semanas.
    Final de Outubro fui novamente á loja, sem nunca me terem contactado, e uma funcionária disse me que o artigo só seria entregue na segunda quinzena de dezembro, ou seja, passados quase 5 meses da compra. Com este esclarecimento pedi então a devolução pois a mesa teria de cá estar esta semana visto que é para uma casa de aluguer e como é óbvio precisa da mesa. Disseram me que teria de ligar para o numero de apoio ao cliente e tratar deste assunto, contactei os e disseram que depois me ligariam a dar uma resposta, não foi a uma segunda como tinham dito mas sima a uma terça, e a resposta foi que não faziam devoluções. Não perdendo mais tempo ontem ás 23h30 fui á loja e pedi o livro de reclammações. E claro isto não fica assim…. DECO e CIAC serão os próximos passos. Mas o que mais me intriga é continuarem a fazer tais procedimentos existindo muitas respostas. Isto não pode continuar a acontecer.

  3. Rui Dantas diz:

    Boa tarde
    Pena não ter lido antes todos estes vosso comentários pois assim nunca compraria nada na AREA Norteshopping.
    Ontem dia 5 Novembro 2012 dirigi me á loja para apresentar queixa no livro de reclamações tudo porque adquiri uma mesa no dia 31.07 e teria de aguardar segundo eles mais ou menos 8 semanas, o que acontece é que no fim de setembro voltei á loja para questionar como estava o envio da minha mesa que já a tinha pago por inteiro 239€ e segundo um dos responsáveis Diogo Lemos disse que tinha chegado uma mesa mas que vinha com defeito e voltou para trás logo teria de esperar mais um mês, mas em tom irónico disse me também que ate puderia demorar a vida toda pois todo o tempo de espera de artigos era de mais de 8 semanas.
    Final de Outubro fui novamente á loja, sem nunca me terem contactado, e uma funcionária disse me

  4. Cristina diz:

    Muito Boa Tarde,

    A minha história é igual à maioria das aqui explanadas. Comprei 2 artigos com defeito na loja do Norteshopping,solicitei a devolução do valor e foi-me recusado.
    Dado que tanto eu como o meu marido somos advogados, avançamos com a acção judicial, a qual se encontra a correr os seus termos, estando apenas aguardar a marcação do julgamento.
    Escrevo porque são muitos os relatos de falta de cumprimento de boas práticas por parte da AREA.
    Exorto todos a não baixarem os braços perante a “tirania” de uma empresa que pensa que está acima da lei.

  5. Laura diz:

    Boa noite,
    Queria apenas referir que a minha mãe teve também um problema com esta loja e que acho inadmissível que os funcionários e os superiores desta loja continuem a gozar com a cara das pessoas.
    Ora, a minha mãe encomendou um sofá na loja Area de Matosinhos (Norteshopping) porque não havia em stock na loja. Quando foram entregar o sofá à nossa casa (um apartamento), não estavam a conseguir entrar pela porta. Então, sem avisar nenhum dos compradores (os meus pais), retiraram a embalagem do sofá e começaram a desmontar o sofá no meio do passeio onde , perdoem-me a referência, cães e gatos fazem as suas necessidades todos os dias. Após terem retirado as almofadas do sofá colocaram-nas no chão do elevador para subir até ao 4ºandar. Almofadas que não podem ser lavadas, onde as pessoas se vão sentar, foram colocadas no chão. Deitaram o sofá no chão do passeio e não conseguiram passá-lo pela porta. Pelo que colocaram o sofá sem protecção dentro da carrinha para levá-lo novamente para a loja.
    Tanto a minha mãe como o meu pai assistiram a isto da janela e, se o meu pai não se tivesse dirigido aos funcionários que foram levar o sofá, ninguém tinha prestado qualquer justificação.
    Tendo em conta que o sofá não entra no prédio, a minha mãe questionou o gerente da loja se poderia trocar o sofá por um mais pequeno e reaver o resto da quantia para usar na loja.
    O gerente disse que isso não era possível porque não trocavam móveis.
    Então, a minha mãe, exigiu um sofá novo que viesse devidamente embalado. E eles responderam que não iam fazer isso porque no ponto de vista deles o sofá não estava sujo.
    A minha mãe ligou para o apoio ao cliente e a única coisa que a funcionária fez, depois de a minha mãe explicar diversas vezes o seu ponto de vista foi repetir mecanicamente a mesma frase: “Não encontrámos nada de anormal no sofá, pelo que não vamos devolvê-lo, nem trocá-lo.”
    Acho inadmissível que em época de crise, quando todos as lojas se esforçam por agradar ao cliente e atrair novos clientes, exista uma loja como esta que goza com a cara dos clientes.
    Vamos tentar contactar a DECO e o CIAC. Caso não haja uma resposta, vamos avançar judicialmente.
    Na minha opinião, todos estes casos deveriam ser levados para a TELEVISÃO e mostrar a vergonha em que esta loja se está a tornar.

    • Eduardo Matos diz:

      Boa tarde,
      Também estou com um problema semelhante com essa loja, a má fé é manifesta e a conduta é inqualificável. Já teve algum feedback da ASAE/DECO?

  6. FRANCISCO SILVA diz:

    aqui vai mais um! acreditem, estou com o mesmo problema, compro uma cadeira e por duas vezes o produto tem defeito! perdi todo o interesse na cadeira e quero o meu dinheiro de volta. e vejam só, no meu caso, não aceitaram a devolução da cadeira na loja do Porto e disseram que se a deixasse ficar lá na loja a iriam entregar aos “perdidos e achados” do Shopping !!! alguém compreende esta empresa AREA / INFINITAS????? quanto à ASAE, já encerrou o processo pois ao que parece não está nas suas competências!! o assunto vai seguir para o CIAC-centro de informação autarquico ao consumidor, pois EU NÃO ME SINTO NA OBRIGAÇÃO DE COMPRAR O QUE QUER QUE SEJA QUANDO ESSA LOJA ME TENTA ENGANAR POR DUAS VEZES COM PRODUTO AVARIADO. MAIS, A 2ª CADEIRA VEIO MONTADA PARA EU NÃO DAR COM O DEFEITO, ATÉ ME FOI ENTREGUE EM CASA… ISTO É GRAVE.

  7. FRANCISCO SILVA diz:

    aqui vai mais um! acreditem, estou com o mesmo problema, compro uma cadeira e por duas vezes o produto tem defeito! perdi todo o interesse na cadeira e quero o meu dinheiro de volta. e vejam só, no meu caso, não aceitaram a devolução da cadeira na loja do Porto e disseram que se a deixasse ficar lá na loja a iriam entregar aos “perdidos e achados” do Shopping !!! alguém compreende esta empresa AREA / INFINITAS????? quanto à ASAE, já encerrou o processo pois ao que parece não está nas suas competências!! o assunto vai seguir para o CIAC-centro de informação autarquico ao consumidor, pois EU NÃO ME SINTO NA OBRIGAÇÃO DE COMPRAR O QUE QUER QUE SEJA QUANDO ESSA LOJA ME TENTA ENGANAR POR DUAS VEZES COM PRODUTO AVARIADO. MAIS, A 2ª CADEIRA VEIO MONTADA PARA EU NÃO DAR COM O DEFEITO, ATÉ ME FOI ENTREGUE EM CASA… ISTO É GRAVE.

  8. Olga Guedes diz:

    A mim está-me a acontecer exactamente a mesma coisa!!! O que faço? Gostaria avançar judicialmente! Tel. 965036442.

  9. Rita Neves diz:

    Infelizmente também tenho uma má experiência com esta loja. Também irei avançar judicialmente.

  10. Jorge Silva diz:

    A mim está-me a acontecer exactamente a mesma coisa, já vou na 4ª tentativa de troca e o material vem sempre danificado….

Deixa um comentário