Queixas | Telecomunicações RSS Feed Desta Categoria

Burla telefónica 607930023

Aliciando com um prémio monetário de 200 euros levaram a minha mãe, pessoa que ainda acredita na boa fé das pessoas, a efetuar uma chamada de valor acrescentado para o número 607930023.

Claro que a conta apareceu na discriminação da fatura mensal da PT.

Fiz uma pequena pesquisa na NET inserindo apenas os tres primeiros digitos e para meu espanto a minha mãe é apenas uma entre milhares!

Estará esta empresa a coberto pela legalidade? Pelos vistos o modus operandi ainda permanece.

MEO – É um roubo mas é legal

Sou cliente Meo há alguns anos (nº 1286802830). Tenho subscrito o pacote MEO Total 24.

Nas últimas semanas vinha verificando uma degradação da qualidade do serviço, com interrupções do serviço, especialmente durante a noite.

Até que no passado fim-de-semana o serviço esteve completamente inoperacional entre as 19 e as 2-3 da manhã.

Depois de contactar dezenas de vezes o número de Serviço ao Cliente, de fazer reclamações telefónicas, por e-mail e via formulário online para vários serviços a situação é a seguinte:

– A minha linha está limitada desde o início ao máximo de 12Mbps. No entanto o pacote que pago há vários meses indica velocidade máxima de 24Mbps;

– Os vários técnicos contactados não conseguem chegar a um acordo, desdissem uns aos outros, para uns a linha é óptima para outros a infraestrutura instalada pela empresa não aguenta o número de clientes nela “pendurada” pelo que o serviço tem de se degradar;

– A solução que me propoem é baixar a velociade ainda mais para 8 Mbps de máximo, que chegam a ser 150kbps no período de mais afluência;

– Quanto ao tarifário cobrado é tudo legal, cobram 24 mas fornecem o máximo que podem. Sugerem baixar para o pacote de 15Mbps e ficar usufruir de um máximo de 8Mbps mas, mesmo assim, prolongando o período de fidelização!! Ou seja, “sabemos que estamos a roubar os clientes mas é um roubo legal. Quem quiser ser roubado um pouco menos tem de nos deixar roubar durante mais tempo!”

Grande empresa e grande serviço!

– A situação chegou a um ponto em que os funcionários chegam a debitar pérolas como:

“Para que é que precisa de canais HD? Não lhe bastam os outros?” ou, quando interrogados como podiam cobrar um tarifário superior ao serviço fornecido respondem com: “Sabe que há clientes que nunca se queixaram?”.

Já contactei a provedoria do cliente que, cinco minutos depois de o último técnico ter saído aqui de casa afirmando que não podia fazer nada porque a linha não tinha condições, me ligou afirmando que o técnico já tinha resolvido a situação!

Depois de reafirmar que os problemas se mantinham a resposta da provedoria é que não pode fazer nada. Era um roubo mas um roubo legal.

Com provedorias destas dá gosto ser cliente!

TMN Avaria de Telemóvel

No dia 06/10 após uso do meu telemóvel, notei que o mesmo estaria mais quente que o habitual. Estranhando o facto e o receio de tal situação, decidi pô-lo de lado. Algum tempo depois quando necessitei de o usar reparo que o ecrán estava na sua metade superior de cor verde translucida, ficando o restante normal.

Pensado que seria algo de alguma má configuração, decidi reiniciar o telemóvel. Ao fazê-lo noto que o tom verde se mantinha, e que existiria uma mancha cinza escura translucida no ecrán e várias pintas ao longo de todo o ecrán que no fim do dia alastraram-se até que este ficou todo negro.

Ficando preocupado com o que sucedeu dirigi-me à loja Pt Blue Store do CC Aqua em Portimão, que informou-me que não possuiam serviços técnicos, pelo que deveria dirigir-me a outra loja. Decidi activar o serviço SOS Telemóvel Telefónico, fazendo uso ainda do meu telemóvel, pelo que apesar das manchas ainda funcionava e ainda se via bem os menús. No dia 09/10 veio um estafeta da TMN levantar o equipamento, tendo sido o próprio a embalar o mesmo e colocá-lo numa caixa de cartão com o logotipo da TMN.

Fui avisado que os serviços de raparação tendencialmente complicam as coisas e alertaram-me para dar conhecimento de tudo à Provedoria do Cliente da PT. Assim o fiz.

Na semana seguinte fui contactado pela TMN que me informou que após perícia técnica existiam vestígios de mau uso e o ecrán estaria partido e pelo que a TMN não activaria a garantia. Fiquei desolado e atónito com a informação prestada, pois o meu telemóvel nunca foi vítima de mau uso, e nem um risco teria, muito menos o ecrán estaria partido, nem tal coisa me teria passado pela cabeça.

Protestei, com e-mails, telefonemas por todos os meios possíveis, mas não serviu de nada. Apresentaram-me um orçamento de 154€ + IVA, e se não aceitasse o equipamento seria devolvido sem qualquer intervenção.

Recusei pois aceitar o orçamento era dar-me como culpado. Tentei falar com a TMN e com ao Provedoria da PT no mesmo dia, mas nunca o consegui pois se por um lado não passava dos Assistentes de Call Center, por outro lado não obtinha resposta da Provedoria do cliente.

No fim do dia, recebo um e-mail, a informar-me que o equipamento seria devolvido, na ausência de resposta e dificuldade em por-me em contacto com alguém com poder de decisão, vi-me obrigado a aceitar o orçamento e pedi ao Assistente que colocasse em observação que aceitaria o orçamento porque não tinha outra alternativa, dado a dificuldade em falar com alguém sem ouvir a frase “está em análise aguarde contacto”, e que desta forma senti-me coagido pelas circunstâncias a aceitar.

Portanto, aceitei a reparação com a devida ressalva e imediatamente, efectuei nova reclamação à TMN e à Provedoria do Cliente PT.

Até á data de hoje, 3 semanas passadas, nunca fui contactado a respeito de todas as reclamações que efectuei onde informava que não teria infligido qualquer dano ao telemóvel e que este não possuia vestigios de mau uso, tendo 2 meses de “vida”, e que nem um risquinho teria e muito menos um ecrán partido à data da entrega do mesmo ao estafeta da TMN.

Nunca me foi dada hipótese, pois fui sempre ignorado. Na semana seguinte sou contactado por alguém que me pede dados, principalmente o e-mail para proceder ao envio do relatório técnico e provas fotográficas… isto creio que a 14/10.

Até à data não recebi nada, e estamos a 2 de Novembro.

Insisti várias vezes com vários e-mails e fax, possuo relatórios de entrega e leitura, tanto da TMN como da Provedoria da PT, mas nunca obtive um feedback.

Continuam a culpar-me de ser o responsável pela avaria e descredibilizam os meus argumentos ignorando-os.

Farto de ausência de informação e resposta à minha reclamação, no dia 30/10 ligo novamente à TMN para saber se exisitira alguma informação sobre o assunto, para meu espanto fui informado que o telefone já estava reparado e pronto para ser enviado. Não me teriam informado sobre isso. Fiquei a saber por mero acaso.

Agendou-se a entrega do mesmo para o dia 02/11 entre as 9h/13h, com a ressalva que iriam facturar a reparação conforme orçamento.

No dia seguinte, dia 31/10 sou contactado a informar que se confirmava o agendamento da entrega para dia 02/11.

Hoje, dia 02/11 esperei, mas o estafeta não apareceu, e o telefone não foi entregue. Este serviço é ma custo do cliente no valor de 20.91€.

Liguei á TMN, fui mal atendido, com arrogância e prepotência, e foi-me dito que como teria pedido a entrega das peças antigas, que decidiram cancelar a entrega no dia 31/10. Não fui informado deste cancelamento e perdi uma manhã inteira para nada fechado em casa, e cujo o dia teria sido um dia de férias colocado justamente para este efeito.

Foi dito pelo assistente que por ter sido feriado no dia 01/11 e dada a lista de espera não existiu a possibilidade de me avisar. O certo é que existe aqui algo que não funciona, parece-me a mim que evitam contactar-me.

Hoje, decidi reclamar novamente à TMN e à Provedoria do Cliente, a informar a mesma coisa, algo que já fiz muitas vezes, de que não aceito ser culpabilizado de algo que não fiz e que não é verdade, independentemente do que a perícia técnica afirma.

Não posso aceitar que me acusem injustamente, não posso aceitar que ignorem a sintomatologia apresentada por mim, não posso aceitar porque tudo o que digo é a mais pura verdade. Sinto que sou visto como mentiroso ou como alguém que quer tirar vantagem desta situação.

Afirmo o que disse inicialmente à TMN e Provedoria, por várias vezes: Continuo a informar-vos de que não infligi qualquer dano ao meu telemóvel.

E reitero novamente que discordo de todos os pareceres técnicos, independentemente do que possa constar no relatório técnico.

Sendo que baseiam-se e citando as vossas palavras “na eventualidade de…”, portanto suposições e sem certezas, na acusação que proferem.

Como tal, aguardo que o façam em tempo útil designado na lei e cumpram a mesma.

Irei lutar para que me seja dado o direito de activar a garantia e se o ecrán internamente estalou é porque já teria essa fragilidade de início, um telefone supostamente deve ter resistência quando não têm mau uso.

Irei fazer uso do meu direito a substituição do mesmo, EXIJO SUBSITUIÇÃO DO MEU EQUIPAMENTO.

Este Equipamento avariou de forma estranha, e a forma como aconteceu é algo que a meu ver não me oferece segurança. Agora é uma questão de principio.
Obrigado.

TMN – Pedido de portabilidade e Troca de pontos

Em Abril deste ano surgiu a oportunidade de mudar de empresa de telecomunicações e esta ofereceu-me a possibilidade de ter um pacote de telemóvel muito interessante, mas o plano deles era com a Optimus e eu na altura era cliente da TMN (a mais de 10 anos).

Agora por ordem cronológica os acontecimentos:

28/04/2012 – Pedido da troca de pontos
Entre 07/05/2012 e 11/05/2012 – Pedido de portabilidade
Entre 07/05/2012 e 11/05/2012 – A portabilidade foi rejeitada pelo facto de não estar no meu nome
Entre 07/05/2012 e 11/05/2012 – Correcção do meu nome
18/05/2012 – Pontos cancelados
22/05/2012 – Aceitação da portabilidade

Então e como referido pedi a troca dos pontos. Entretanto e ao mesmo tempo que peço a portabilidade recebo em casa uma encomenda no nome de Manuela e como não conhecia ninguém com esse nome mandei para trás isto aconteceu duas vezes.

Nessa mesma semana a portabilidade é rejeitada e eu sem perceber o porquê telefonei e disseram que o meu número (que o tinha desde que comprei um telemóvel novo na loja) estava no nome de Manuela (neste momento já não tenho a certeza do nome).

Entretanto efectuei telefonemas para resolver a questão da portabilidade e num desses telefonemas eu abordei a questão que o cartão da MEO tinha sido erradamente enviado no nome da outra senhora e que eu tinha rejeitado e o operadora disse claramente que seria contactado.

No inicio de Setembro lembrei-me que ainda não tinha recebido o cartão e contactei a TMN que disse simplesmente como já não era cliente eles não tinham de contactar.

Vendo a cronologia eles podiam ter contactado no inicio de Maio a dizer que os pontos iriam ser repostos não recebi nenhum contacto (nem por sms, telefonema ou email) e a portabilidade foi aceite 4 dias depois dos pontos repostos.

Em resumo não tive qualquer culpa no erro da TMN que de um momento para o outro colocou o nome desta Manuela no meio durante 10 anos nunca tive problemas, efectuei trocas de pontos sem problemas, tornei-me cliente de mais um serviço da PT a MEO e sempre dei o meu nome, no portal Cliente PT associei as duas contas sem problemas e nunca apareceu outro nome a não ser o meu. Quando peço a portabilidade começam os problemas.

O meu pedido de novo cartão foi rejeitado e que me deixou bastante triste pois o cartão foi emitido e era só devolverem novamente com o meu nome.

OPTIMUS Madrid

Venho por este meio pedir ajuda. Tenho um OPTIMUS Madrid à 4 meses e os últimos 2 e meio esteve em reparação na marca Alcatel.

Foram 4 vezes seguidas para reparar. É uma vergonha 4 vezes e cada vez que vem da reparação trás mais uma avaria.

A OPTIMUS descarta para a marca, por sua vez a marca nada tem a dizer-me. Eu sou cliente OPTIMUS como tal devia ser a esta a resolver o meu caso.

Alcattel não muito obrigado, mas como sou obrigado a ficar com o telemóvel, pelo menos trocavam por 1 novo seria o mínimo, já que nem uma satisfação a OPTIMUS deu.

Estou muito desiludido com esta forma de tratamento da OPTIMUS.

Gostava que o meu caso tivesse um desfecho mais feliz.

Obrigado

Pagar para receber MMS Vodafone

Hoje recebi uma MMS e para meu espanto quando verifiquei o saldo, vi que me tinha sido descontado a tarifa de acesso diário à internet. Esta situação já tinha acontecido no passado.

Liguei para a Vodafone, e disseram que esta situação é normal e recusaram-se a devolver o dinheiro e defenderam-se com desculpa que são as caracteristicas do equipamento.

– Eu não deveria pagar por receber MMS pois com os telemóveis antigos também não se pagava.

– É abusivo cobrarem a taxa de acesso diário à internet só para receber uma mms. Antes de me cobrarem a referida taxa, no mínimo deveriam ter avisado que eu iria ter de pagar para receber a MMS.

– Se o telemóvel Android tem estas característas para as MMS então TEM DEFEITO. Se como dizem, isto não é um defeito QUANDO EU comprei o telemóvel eu deveria ter sido avisado destas “características”.

– O atendimento ao cliente é mal humorado, arrogante e prepotente.

CTT de Vila Real

No dia 2 de Novembro passado dirigi-me à estação dos CTT, em Vila Real, situada na Quinta da Araucária, Lote 2, Loja 1, 5000-998 VILA REAL, para envio de livros para outros leitores.

Chegada a minha vez a funcionária que me atendeu ao balcão, quando ouviu que eram livros para serem enviados através da taxa editorial disse logo que não podiam ser enviados assim, pois os envelopes não podiam ir fechados, a que argumentei que se comprasse os envelopes naquele momento e ali tinha que os fechar só que teria que ser em cima da fita-cola que trazem para possível verificação postal.

No entanto disse-lhe que podia abri-los para verificar o que lá ia, pois de facto os envelopes devem, ser fechados na frente de quem nos atende.

Depois de abrir os envelopes um a um e de mostrar o que ia em cada um deles, a senhora pôs-se a verificar os livros minuciosamente e acabou por afirmar que aqueles livros não podiam usufruir da taxa editorial pois eram livros sem ISBN e como tal não usufruem do estatuto de livro para envio em taxa editorial.

Argumentei que eram livros antigos e que de facto não possuíam tal identificação, mas que eram livros na mesma. De facto eram edições dos anos setenta do século passado a na altura não havia ISBN-International Standard Book Number, mais conhecido pela sua sigla ISBN, em português Número Padrão Internacional de Livro, um sistema identificador único para livros e publicações não periódicas.

Então agora pergunto eu se então a taxa editorial que dá para enviar livros entre particulares e a outros leitores não abrange livros antigos?

Então têm de ser destruídos e deitados fora porque apesar de serem livros não usufruem destas condições? Fica esta pergunta, desde já, para que essa instituição me responda.

E com estas atitudes em nada louváveis acabei por não enviar livros alguns, uma vez que os tive de tirar todos dos respectivos envelopes e onde iam ser despachados e porque não tinham ISNB não podiam ser enviados. O que devia ter feito era pedir o livro de reclamações e escrever nele mas aí todas a gente nega a entrega desse livro e tem medo que a gente escreva mesmo com razão.

Não identifiquei a funcionária mas posso deslocar-me a essa estação dos correios para o fazer pessoalmente caso queiram averiguar tal situação, é a pessoa mais forte e de grande porte que exerce funções naquele lugar e a sua atuação no sentido de ver o ISBN dos livros em causa parecia a de alguém da GNR/brigada fiscal à procura de produtos ilícitos e não foi nada agradável e deu mau aspecto ter de tirar todos os livros dos envelopes, que ainda eram bastantes para depois não serem enviados, principalmente para quem estava a ver tal espetáculo.

Aqui fica a queixa e espero uma resposta sobre se os livros ISBN podem ou não ser enviados para outros leilões, ao abrigo taxa editorial, que no caso dos livros pode ser usada por particulares, como é o meu caso.

Será que isto só acontece devido a situação monopolista da vossa instituição no transporte de correspondência e afins? É que se houvesse mais empresas no sector, isto, de certeza, não teria acontecido.

Eu, que faço parte da «winkingboobks», instituição de troca de livros preciso de vós para enviar livros, mas se houvesse outra empresa a fazê-lo, de certeza, que não me veriam mais aos balcões da vossa empresa, pois chegou-me perfeitamente para ver a prepotência naquele balcão onde não pude enviar aqueles livros e não eram tão poucos como isso.

Posso dizer que acabei por os enviar mas em envelopes verdes para não ter que aturar as birras de outra funcionária (e da segunda vez teria de escrever no livro e reclamações), com os prejuízos para mim usufruídos daí pois os envelopes verdes são mais caros e não usufruem de taxa editorial.

Abaças, 2012-11-12

The Phone House

Luiz Felipe Souza na qualidade de cliente The Phone House,

VEM

Apresentar a minha Reclamação com a maneira como a The Phone House actua a quanto a Avaria de um Equipamento que adquiriu numa sua Loja no Forum Coimbra em 31/10/2012.

No dia 05 de Novembro o cliente desloca-se a loja onde comprou o equipamento e apresenta a devida reclamação a colaboradora da referida loja, onde a mesma verifica a avaria, tendo aconselhado mudar o cartão SD, tendo a referida colaboradora ido trocar o cartão SD.

Após a referida troca do cartão SD a referida colaboradora, disse ao cliente que caso essa situação persistisse viria a loja e seria feita a substituição do equipamento, na verdade a avaria continua o cliente em 12/11/2012 volta a loja acima identificada e apresenta a devida reclamação, onde o colaborador da loja retira o telemóvel do cliente da protecção que trazia sem qualquer cuidado, pega no equipamento verifica se existe algum arranhão ou danos, tendo respondido que não, passado alguns minutos de ter estado com o equipamento na sua mão e dentro do balcão o colaborador após o cliente requerer a substituição do equipamento dis que o equipamento tinha um risco.

O cliente solicitou a substituição do equipamento, baseado no Decreto de Lei nº 67/2003 de 08 de Abril, onde dis no artigo 4º “Direitos do Consumidor”, deste modo o cliente solicitou o livro de reclamação, dando o prazo de 5 dias após o preenchimento da referida reclamação.

Após toda essa situação, o cliente deixou ficar na loja forum Coimbra, o referido equipamento na parte de dentro do balcão, ao cuidado da referida loja ” colaborador Sr João Moura ” , deste modo o cliente requer a devolução do montante pago 299,90€ em vez da substituição do equipamento.

Gostaria de realçar caso a The Phone House não se pronunciar dentro dos Prazos descritos na referida reclamação, dará entrada no Tribunal Julgado de Paz de Coimbra a referida acção, onde podem ter a certeza que os valores serão outros.

Atenciosamente Bem Haja.

LUIZ FELIPE SOUZA.

Burla On Telecom

Como todos os outros, recebi uma chamada de alguém que se identificou como sendo da Telecom . Como gostaria de acreditar numa empresa á qual estou completamente ligada há tantos anos, confiei !

A funcionária disse-me para ligar um número e responder a um pequeno inquérito para receber um prémio por ser cliente de longa data e que embora fosse um número de valor acrescentado eu não iria pagar a chamada.

Liguei e quando ouvi o valor comecei a ficar desconnfiada. Mas mais uma vez o nome da Portugal Telecom falou mais alto no meu subconsciente e como já me tinham dito que isto estava previsto continuei.

A primeira coisa com que confrontei a D. Patrícia Oliveira que me atendeu foi com a gravação inicial e mais uma vez me foi assegurado que esse valor não me iria ser cobrado e que portanto poderia responder ás suas questões sem preocupação.

Logo que desliguei fui verificar a ON TELECOM na internet e percebi…

Voltei a ligar para verificar e falar com um responsável e percebi que estão a vender férias com aquele marketing agressivo que todos conhecemos mas neste caso com um pormenor muito importante – estão a usar o “bom” nome da Portugal Telecom !!!!

Logo a seguir liguei para a PT e verifiquei que tinham conhecimento da situação, perguntaram-se se queria que me barrassem o telefone para fazer este tipo de chamadas (Sim, claro!) e garantiram-me que o valor da chamada me iria ser restituído! OK!

Mas eu pergunto-me : – Se a PT já tem conhecimento desta situação há tanto tempo (já vi queixas que datam de Fevereiro) porque continua a permitir que utilizem o seu nome para burlar clientes, fiéis á sua empresa, em valores de 30 euros (em tempos de crise…) ?

Sim, porque eu nunca teria dado seguimento á chamada se não me tivessem dito que era da Telecom e que o assunto tinha a ver com o facto de ser cliente há muito tempo.

Não sente a PT que a sua credibilidade está a ser posta em causa?

ON Telecom – 21 Jan 2012

Aconteceu-me que dia 21 Janeiro recebi uma ligação que supostamente seria um estudo de mercado via telefone.
Começou com a pergunta: ” Qual o Rio que desagua em Setubal?” o Rio Mondego ou o Sado? Eu respondi o sado..
A Sra respondeu ganhou os 200€. Vai Ligar o 607930016 para fazer o questionário para lhe enviar o prémio…assim fiz…acreditei fazia parte do Grupo Portugal Telecom.

Recebi dia 1 Fev. uma carta da referida empresa On Telecom para escolher uma estadia 3 dias e 2 noites no Algarve ou Trás- os- montes,com um questionário para prencher com os meus dados pessoais, e que teria de gozar a referida estadia em certas datas.

Tenho agora a conta da PT com o valor de € 31,02 (IVA incluído) só desta chamada.
Claro que tenho que pagar a conta mas haverá alguma forma de, neste país que os contribuintes só servem para pagar impostos, fazer com que estas pessoas sejam condenadas por burla, alem da devolução do montante gasto?
Afinal verifico que esta situação decorre hà meses e ninguém faz nada (Autoridades competentes) ?
Atentamente
Gabriel Santos

Pagina 1 of 1012345...10...Ultimo »