MOVIFLOR erra, prejudica e ainda exige para reparar.

Segue-se cópia fiel do conteúdo que coloquei no site da empresa, onde julgo estarem implícitas algumas irregularidades para além de não serem diligentes na reparação dos seus erros:

“MOVIFLOR? NÃO OBRIGADO!

Na semana passada comprei, na V/loja de Santarém, uma cama de casal, que paguei a pronto.

No dia seguinte, depois de ter arranjado transporte em que coubesse a caixa maior, fui levantar o kit.

Abertas as embalagens, iniciei a montagem do difícil “puzzle” desagradado pelo facto de não conter um verdadeiro manual, mas apenas esquemas codificados, pouco intuitivos e apenas com três palavras em língua portuguesa, conseguindo após vários ensaios montar a cabeceira e os pés da cama, surgindo então o impensável: as placas laterais não “casavam” com o conjunto!
Acabei por descobrir que, nos topos apenas possuíam um cavado para aplicação de uma ferragem designada por B, quando deviam possuir duas cavidades em cada extremo.

Por força do erro do vendedor, ainda que por via de terceiros, perdi demasiado tempo, acabando por faltar a compromissos sociais naquela noite, com a fatal perturbação do sistema nervoso por força do stress inerente.

Na loja quiseram-me entregar as placas correctas mas, para além de recear que algo mais não esteja conforme (por exemplo uma peça D, em madeira, cujo nome não vem no papel, é um pouco maior que as restantes 20 de que faz parte), por não dispor de caixa de carga para o seu transporte e porque apenas no fim do mês virá o colchão, solicitei que considerassem os inconvenientes a que fui submetido e tivessem alguma atenção para comigo, sugerindo que:

– Aproveitassem uma eventual saída dos funcionários, já que moro dentro do perímetro urbano, para que viessem trocar as peças e verificassem se realmente servem no restante conjunto.

– Como resposta obtive um irredutível “NÃO”, apontando-me uma clausula do contrato que não me deram a ler antes do pagamento.

– Tenho a cama meio montada, por isso, manietado e para não perder o que tanto me custou, vou ter que arranjar transporte e acreditar para que as peças sejam aquelas.

– Em certa altura pediram-me 25 euros para virem cá a casa. Que depois os descontavam quando fosse levantar o colchão, se realmente fosse como eu digo.

Comprei de boa fé, paguei a pronto antes de levantar o artigo, acreditei no vendedor como “pessoa” de bem, mas a MOVIFLOR, ali representada não confia em mim, por isso, não tenho 25 euros para caução de quem não é de fiar!

Já fiz mais negócios convosco, sem problemas, mas nunca pensei que a loja de Santarém não tivesse liberdade para ser diligente na correcção dos seus erros, ou que ao menos tivesse uma palavra ou gesto de apreço pelos seus clientes.

Como sou fiel aos meus compromissos, não vou denunciar o contrato e receberei o colchão na data prevista.

A partir daqui MOVIFLOR NUNCA MAIS. Nem recomendo!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *