Clínica Capitólio do Dr. João Araújo Teixeira

No dia 12 de Maio de 2011 pelas 17:30, dirigi-me á clínica do Capitólio na cidade do Porto para uma consulta de proctologia, sentia uma dor no recto que me atormentava há 2 semanas.

Fui atendido pelo médico Prof.Dr. João Araújo Teixeira que pelo perfil que tinha visto no seu site na internet, www.centrohemorroidas.com achei que estaria em óptimas mãos!

Na companhia da minha Esposa, expliquei ao médico o que sentia e logo disse-me que seria de certeza absoluta uma fissura no recto, pediu-me para ser examinado e assim que concluiu o doloroso exame, confirmou a fissura e retomamos a conversa, explicou que seria urgente tratarmos a fissura com recurso à cirurgia, caso contrário, degeneraria em fístula, situação mais grave e complexa.

Ainda não refeito do choque pela noticia, o médico sugeriu-me que decidisse rápido e poderia fazê-lo já na Segunda Feira seguinte, na sua clínica, pelo próprio e porque tinha uma vaga.

Quando perguntei por valores, explicou-me que ficaria por 2600 Euros mas que se eu não precisasse de factura ficaria pelos 2000 euros e ficávamos todos a ganhar!

Disse ainda que se não tivesse a quantia toda do dinheiro poderia passar uns cheques pré-datados a combinar melhor.

Atónito e sem grande reacção perguntei-lhe se não havia nenhum tratamento que pudesse fazer e algum medicamento que pudesse tomar para aliviar as dores, respondeu-me que o tratamento ideal seria a cirurgia e não me receitava analgésicos para não deixar andar e adquirir mais tarde a fístula.

Paguei 80 euros pela consulta e abandonei as luxuosas instalações da clínica do Capitólio completamente desorientado.

Mais tarde na Internet e após consulta de sites da especialidade concluo que afinal a minha fissura seria do tipo aguda porque tinha apenas 2 semanas e completamente tratável, sem recurso a cirurgia, ao invés da fissura crónica que pode ter meses e quando o tratamento é ineficaz recorre-se à cirurgia para não ocorrer fístula.

Passados 5 dias recorro ao Hospital Pedro Hispano para ser observado por um médico gastrenterologista, esse médico observou-me e receitou-me Paracetamol, Nupercainal e conselhos do que não deveria comer naquela fase, e disse-me logo que a cirurgia é a ultima opção para estes casos e lamentou o que se passou comigo, mas que conhece mais casos idênticos perpetrados pelo mesmo médico e até outros da mesma especialidade!

Hoje decorrido quase 1 mês e meio estou praticamente curado e aliviado mas sinto que não posso deixar passar este caso impune, pois estamos perante uma situação gravíssima de má fé, fraude, desrespeito pelos princípios humanos e deontológicos.

Não podemos permitir que outras pessoas venham a ser vitimas do mesmo ou pior, e que comportamentos como este sejam devidamente e exemplarmente punidos e erradicados.

Notifiquei a ordem dos médicos com carta pormenorizada dos factos e até hoje nem resposta!

Cumprimentos,

By: Vitor Gomes