Vítima de Burla pelo Ponta Grande Resort

No período de verão no Algarve fui intersectado, por uma senhora “representante” de um resort que me deu a escolher um cartão surpresa (e que SURPRESA), tive tanta sorte na escolha que fui contemplado com uma semana de estadia grátis no Ponta Grande Resort!

Nem imaginava que a mesma sorte tinha tido também uma boa dezena de pessoas. No entanto para receber o referido prémio teria de fazer uma visita guiada ao empreendimento.

Fui recebido por um senhor que após uma palestra que não acabava mais e cujo objetivo era convencer-me a adquirir uma semana de férias no referido resort.

Já cansado de ali estar, sobre uma pressão psicológica imensa “hoje e agora” assinei o contrato.

No prazo legal anulei o contrato pedindo o reembolso do sinal dado no valor de 2000 euros e de Agosto até à presente data, após telefonemas quase diários e o envio de pelo menos três cartas, continuo à espera do dinheiro.

Constato que não sou o único lesado por parte da Ponta Grande Resort, relativamente à sua falta de honestidade no cumprimento do reembolso do valor entregue!

Assim proponho a todos os lesados que nos organizemos através do e-mail pedro.de.oeiras@gmail.com para que no próximo verão nos apresentemos no Ponta Grande Resort com o objetivo de avisar quem for aliciado tal como nós fomos.

No que depender de mim e devido à publicidade negativa que pretendo fazer o Ponta Grande Resort vai ter dificuldade em limpar a sua imagem.

Ponta Grande – Selling Power

No dia 22/05/2010 foi celebrado um contrato de adesão de férias com o nº 10P220501C, tendo sido entregue no acto, a quantia de mil euros (1000€) como sinal, exigido pela colaboradora que nos atendeu, mediante cheque nº 6280071587 da CGD;

Dia 26/05/2010, passado três dias da celebração do contrato, foi solicitado através de correio registado e aviso de recepção, a revogação do contrato de adesão supra referido, solicitando-se ainda a devolução do referido valor entregue como sinal, aquando da celebração do contrato em causa;

Dia 23/06/2010, derivado ao facto de não ter sido obtido qualquer contacto por parte da empresa Ponta Grande – Selling Power, foi solicitado via email, para customer-service@pontagrande.com, a restituição do sinal em causa, ;

Dia 01/10/2010 foi solicitado novamente, via email, para office@pontagrande.come customer-service@pontagrande.com, a restituição do sinal em divida respeitante à revogação do contrato de adesão;

Em Outubro de 2011 recorri ao Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo, para tentarem resolver a situação, tendo em 02/02/2012 recebido a seguinte mensagem: “No âmbito do seu processo contra a empresa Ponta Grande – Selling Power, vimos informá-lo que recebemos uma nova proposta desta empresa:

“Após a recepção de v/email, e na tentativa de resolução vimos propor o pagamento de 1000€ em 2 vezes.

1º pagamento de 500€ dia 22 de Março
2º pagamento de 500€ dia 23 de Abril”

Até à presente data, não foi depositada qualquer quantia monetária na conta bancária designada para esse efeito.

Passado todo este tempo, levo a concluir que estes senhores são nada mais que uns vigaristas.